Quem sou eu

Minha foto
Jornalista e músico por amor a ambos os ofícios, mantenho esse espaço sem fins lucrativos para divulgar a cena local, seja com a participação de banda locais, seja com a bandas nacionais.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Promotores de eventos e a falta de respeito ao Brasil!


Pessoas depois de meses afastado e de um fim de ano meio que conturbado estou de volta ao Blog, e espero eu para nunca mais me afastar dele!

Eis que um novo ano se inicia, e espero mesmo do fundo do meu coração, que ele não acabe. Com este novo ano vem a expectativa do que esperar dos festivais, aí vou eu falar da cadeia produtiva da música, ou de grandes eventos como o revellion...

Ao meu ver os problemas começaram e ficaram bem claros no Rock'n Rio ou #RiR como ficou conhecido no twitter. Lá em várias histórias contadas pelos músicos locais a desorganização e falta de respeito com os músicos brasileiros foi por sí só o maior abuso! leiam o que o Kiko Loureiro guitarristas da banda de metal melódico Angra publicou em seu site:

"No último domingo, dia 25 de setembro, celebramos os 20 anos de carreira do ANGRAcom um show inesquecível no Rock in Rio 2011. Um momento que será memorável para todos nós. Não só pelo glamour, pela honra de participar de um dos maiores eventos musicais do mundo, ou pela nossa performance (que não foi das melhores), mas pela evidente dificuldade de ser uma banda de Heavy Metal no Brasil. Diante de um público presente de cerca de 60.000 pessoas nas bilheterias da Cidade do Rock e sendo televisionado em rede nacional para milhões, nós do ANGRA tivemos as vísceras expostas numa luta heróica de 60 minutos contra problemas técnicos no palco e na transmissão para a TV e internet, que não estavam ao nosso alcance resolver." http://www.kikoloureiro.net/


Não contentes os gênios produtores promoveram o SWU, onde a briga entre integrantes da banda do Peter Gabriel e do Ultraje a Rigor foi, por que não dizer, um ultraje aos brasileiros em pleno solo pátrio.

Aí veio o lollapalooza (alguém sabe o que porra é isso?)! e olha só o que o Lobão disse sobre isso.

video

Não menos importante para nós alagoanos foi o Maceió Music Festival, o MMF. Em que vários amigos músicos de bandas que sustentam a escassa vida cultural desse estado foram convidados a tocar apenas pela divulgação, ou seja de graça, enquanto os produtores gastaram uma grana com bandas de nome nacional, e tiveram a oportunidade de contratar bandas internacionais para o evento, enquanto os pobres mortais locais, ou isso ou nada! Não vou nem falar do acidente algo que ao meu ver foi apenas uma fatalidade, obra do acaso. 

No Revellion do Rio de Janeiro o Latino, que não gosto da música que faz, mas respeito o trabalho que desenvolve, foi expulso do palco. palco no qual estava gravando um DVD e ainda faltavam 4 faixas, para que o Dj David Guetta fizesse o show. Pois o Dj francês não admitia entrar atrazado em seu show... de quem é a culpa? Dos produtores, que podiam ter gerenciado a crise de outra forma se fossem mais organizados.

em escala bem menos teve o que aconteceu comigo dia 29 de dezembro. Eu fui com minha noiva e mais dois tios ao show do Monobloco, em Maceió, na Vox Room, o show que acontecia numa quinta-feira, estava marcado para 22h e começou apenas a 0h. A banda de abertura, a quem não vou julgar competência, foi prejudicada pelo som, e eu e as pessoas que foram comigo prejudicados pelo horário, por as 03h da manhã fomos embora e não vimos o Monobloco!

No entanto como local eu digo, respeitem os músicos alagoanos, brasileiros ou de onde quer que venham! A ideia dos festivais é a confraternização de grupos e pessoas, mas os do ano passado só serviram pra mostrar a falta de educação dos visitantes, e a ganancia dos que deviam promover a cultura nacional, com verdadeiras demonstrações de desrespeito ao público!